Top

Lar doce Lar

Eu sei que pode não ser o melhor lugar pra contar essa história, mas se eu não compartilhar com vocês com quem mais?
O True Love era pra ser um site de referências, com o passar dos dias a gente foi conhecendo mais gente, chegamos no face, no tumblr e hoje muita gente que passa por aqui pra dar uma olhadinha já virou companhia de boteco. Quanto mais perto vocês chegam da gente, mais gostoso é fazer este blog. Claro que tem gente que vem aqui só pra gongar, exigir matéria X ou correção no nosso posicionamento numa questão Y , mas quer saber, esse tipo de coisa só nos motiva ainda mais.
Enfim, gosto de ter vocês por perto e já usei o blog pra me declarar, pra desabafar e agora é pra contar uma aventura.
Seguinte, eu tinha uma casa, na verdade um apartamento, mas por que o mundo gira e nem sempre conspira a favor eu já não tenho mais a casa, porém, surgiu uma oportunidade e eu tenho um cantinho. Pequeno é verdade, pra alguns a palavra minusculo será bem mais adequada. No cantinho morarão, eu, meu filho e 2 lindos gatinhos obesos. Esta familia caberá em exatos 17m². Sim, pode duvidar, pode gargalhar, mas não exagere porque o melhor está por vir. Deixa eu te mostrar agora o estado do local na nossa chegada.

Minha cozinha :D
Minha cozinha :D
Minha cozinha :D
Meu lindo banheiro :D
Minha cozinha :D
Meu lindo banheiro :D
Minha cozinha :D
Meu lindo banheiro :D
Minha cozinha :D
Meu Quarto
Minha cozinha :D
Minha janela com vista
Minha cozinha :D
Meu Quarto :D
Minha cozinha :D
Para sonhar olhando para o teto :D

Viu? Agora pode rolar de rir. A aventura que eu falei lá em cima é justamente transformar os 17m² de escombros em um lar. Missão difícil mas não impossível  Pra quem acha impossível viver num espaço tão pequeno se apegue a ideia  que eu também me apeguei, das Tinny Houses que a gente falou por aqui. É econômico, é ecológico, integra a família e pode ser fofo (e quente, e irritante e bagunçado mas essas ultimas ideias aqui pode desapegar em 32..1..   e pronto, já foi).
Para melhorar a coisa toda não existe um pedreiro, não, existe a boa vontade do meu avô que no alto dos seus 85 anos que está disposto a me ajudar, a minha mãe e eu para reformar a belezinha.
Até agora o saldo de hematomas, cortes, dorflex e gelol é bem alto, mas bem alto mesmo, mas vai valer a pena.
Eu já arranquei portas e janelas, derrubei azulejos e esta semana coloquei telhas numa nova cobertura (que ainda não tem fotos). E quer saber, mesmo morta de cansaço o orgulho quase não cabe em mim.
Conforme a coisa toda for progredindo eu vou mostrar pra vocês as mudanças, os custos e os sucessos(ou não) desta nova empreitada. Quem sabe não inspira vocês a uma reforminha, a uma nova decoração, a projetos maiores?

Eu sou dessas que odeia estragar a unha, o cabelo a roupa, jamais me imaginaria demolindo uma parede, mas estou conseguindo, provando apenas que podemos muito mais capazes do que imaginamos. Bem vinda a minha AVENTURA.