Top

Família

 

Olá! Meu nome é Carolina sou advogada, casada, 02 lindas filhas, e “me convidei” para escrever no True Love. Neste espaço espero trocar muitas experiências e conhecimento, e aprender muito.

Pensei muito em como seria meu texto inaugural, se deveria falar juridicamente, se deveria abordar as recentes decisões dos nossos tribunais, se deveria comentar sobre algum caso recente de preconceito e sua repercussão… Mas decidi escrever sem seguir regra alguma (pelo menos hoje) sobre FAMÍLIA.

O que é FAMÍLIA para você? São seus pais, seus irmãos, tios, primos? São seus companheiros, amigos?

Fato é que o termo família pode possuir diversos significados – e cada ciência adota um – psicologia, sociologia, história, direito, antropologia adotam um.

Como admiradora do trabalho da Dra. Maria Berenice Dias acredito no conceito dela de família – “relação íntima de afeto, que gera comprometimento, enlaça as pessoas, produz identidades e prevê responsabilidades.”

É isso: relação íntima de afeto! Independentemente de sexo, cor, raça e sei lá mais o que!

Gosto de imaginar três tipos de família –aquela que VOCÊ escolheu: marido (esposa), companheiro(a) e filhos; aquela que “te escolheu”:pais, irmãos, tios, avós; e seus amigos, que muitas vezes fazem o papel de pais e irmãos.

A grande questão é que nossa legislação não regula e não ampara todos os tipos de família que pudermos imaginar. Não há, via de regra, obrigações jurídicas entre os amigos. A legislação ampara o conceito tradicional de família, mas isso está mudando.

A proteção legal deve ser estendida a um conceito muito mais amplo de família. No passado não havia qualquer proteção ao filho nascido fora do casamento, ao filho adotado e àqueles que viviam em união estável ou concubinato. É apenas uma questão de tempo para que a legislação se modernize e amplie o conceito de família. Algumas decisões judiciais já convergem nesse sentido.

Mas não adianta nada termos uma legislação e o apoio do Judiciário, se nossa sociedade não mudar.

Não acho justo um casal heterossexual, onde não há respeito, onde o marido bate na mulher, chega em casa bêbado e a agride assim como faz com os filhos, que não presta qualquer tipo de auxílio seja material seja emocional ser considerada uma entidade familiar com todos os direitos daí decorrentes, e um casal homossexual, que vive em harmonia, num ambiente saudável, não obter nenhum tipo de reconhecimento e nem ser chamado de família.

Se família é afeto, se prevê responsabilidades – que ela seja legitimamente reconhecida onde existe afeto e responsabilidade!!

Família é amor, é respeito, é cumplicidade. É paciência, tolerância. Vai além de qualquer laço sanguíneo. Vai além de qualquer convenção social.

Longe de todo e qualquer conceito jurídico, para mim, família é muito mais. Família são aqueles com que você se identifica, com quem se relaciona harmoniosamente, quem você respeita e quem te respeita, são aqueles onde o carinho, o amor, a cumplicidade, o respeito, a compaixão são recíprocos e gratuitos, são aqueles que te dão sem se importar em receber.

A minha família é maior do que cabe na minha casa. Minha família, no sentido mais amplo, são meu marido, minhas filhas, meus pais, minhas avós, meus irmãos, meu cunhado e minha cunhada, meus sobrinhos, minhas tias e tios, meus primos, meus amigos!!

E a sua família??