Top

Descubra como ficar livre das dívidas

A psicanalista Márcia Tolotti, autora do livro As Armadilhas do Consumo, explica por que as pessoas compram tanto e o que fazer para combater o endividamento.

Todas as sugestões a seguir devem ser devidamente analisadas e executadas à medida que cada um identificar a melhor alternativa para a situação que se encontra.

Prevenção contra o endividamento

Não gaste mais do que ganha

É a primeira, mais simples e mais importante medida contra o endividamento.

Anote gastos diários

Em todas as áreas é possível fazer um ajuste e economizar. Uma das principais formas de perceber o quanto e no que está sendo gasto é anotar, em planilhas ou em cadernetas que carrega na bolsa. Ao fazer isso, o orçamento doméstico será um passo natural e sem traumas.

Faça uma reserva

Imprevistos são incontroláveis e inevitáveis. Por isso, é fundamental você ter dinheiro disponível para emergências.

Estou endividado e agora?

Se você não conseguiu evitar o endividamento e se encontra numa situação complicada, é importante conhecer alguns caminhos que podem facilitar a solução de seus problemas financeiros:

Renegocie as dívidas

Diversas instituições estão habituadas com renegociação. Portanto, não há qualquer problema em fazer uma renegociação, desde que seja um bom negócio e rompa com o endividamento.

Desfaça-se de algum bem

É uma decisão difícil, mas muitos economistas recomendam que bens como carro, dinheiro aplicado e, em casos mais extremos, imóvel devem ser vendidos para sanar as dívidas.

Revise os gastos

É possível que, quando o endividamento chegar, o “cinto já tenha sido apertado”, mas ainda assim os pequenos gastos e os artigos considerados indispensáveis devem ser revistos.

Analise empréstimos

Longe de ser uma recomendação tomar empréstimo, caso esteja pensando nessa possibilidade, consulte um especialista financeiro. Além de empréstimo pessoal, existem outras linhas de crédito que são oferecidas. E, ainda assim, caso a opção seja pelo empréstimo, é importante observar que seja no menor prazo possível, e que se consulte mais de uma instituição para comparar juros e condições.

 

Fonte: Claudia