Top

Dedilhadas 64 – Mitos sobre filhos criados por gays

Vídeo novo do Dedilhadas no ar. Baseadas  na ótima matéria “4 mitos sobre filhos de pais gays” da revista Superinteressante, ajudam a acabar com o preconceito contra quem foi criado com todo amor por casais gay.

Dedilhadas é um vlog feito por duas lésbicas, para todos que queiram conhecer mais sobre o mundo gay. Já se inscreveu no Canal do Dedilhadas no You Tube? Não? Então vai lá Já!

Comments

  • Fernanda Pucci
    fevereiro 28, 2012

    Primeiramente gostaria de parabeniza-las pelos videos que além de serem deliciosos de assistir, são um serviço de utilidade publica com certeza! O que eu mais gosto dos videos é a forma simples com que os temas abordados são tratados, a ironia acrescentada ao humor-inteligente. Realmente acho vocês demais, queridíssimas!
    Eu assisti o vídeo “Mitos sobre filhos criados por gays”,e em uma das partes vocês falam citam a pesquisa feita com filhos de mães lésbicas.Pesquisa essa que mostra que 22% dos professores agem de forma preconceituosa.
    Bem, era sobre esse tópico que eu gostaria de falar. Eu morava em Curitiba,PR. A um pouco mais de um ano me mudei para Presidente Prudente Oeste Paulista, uma cidade não muito pequena (250 mil habitantes +-), que esta em fase de crescimento. Como vivi sempre em Curitiba, considerada cidade modelo, que é “aberta” para todas as tribos, etnias, movimentos e etc, sempre tive uma convivência priveligiada, tanto na escola, como em casa, na casa dos meus amigos.E porque eu digo isso? Porque sempre fui aceita em todos os meios, claro,existiam pessoas contra, mas cara a cara nunca tiveram coragem de se manisfertar. Lá é muito fácil ver gays, andando de mão dada na rua sem medo, não querendo se esconder. A escola onde eu estudei tinha uma politica de inclusão muito grande, abraçava as minorias, dando abertura pra discussões sobre portadores de necessidades especiais, homossexualidade, preconceito racial,etc, com isso as minorias se sentiam acolhidas, a minha turma que era de aproximadamente 50 alunos, tinha 3 meninas lésbicas e 2 meninos gays(10%).Uma unica vez um professor meu fez uma piada sobre gays, que tomou uma proporção muito maior do que deveria, pois foi contada para uma sala de 1° ano do ensino médio, meninos de 15 anos que achavam muito mais legal tirar sarro do menino gay da sala do que discutir sobre a matéria lecionada. Eu então chamei a atenção do professor, que se retratou com a sala e se comprometeu a não repetir essa atitude.
    Depois que me mudei vi o quanto o preconceito ainda tem força e adeptos.Atualmente sou acadêmica do curso de Direito, numa faculdade aqui em Prudente. NUNCA imaginei que pudesse encontrar PROFESSORES tão preconceituosos, como eu encontrei aqui, homofóbicos, machistas, racistas. E o reflexo disso é a minha geração, tão preconceituosa quanto. Gays não tem espaço nem voz, apesar de estarem lutando para mudar isso, mesmo que sendo de maneira tímida.
    A minha maior indignação é pelo fato dos meus professores adotarem essa postura e terem esse posicionamento, é DEPRIMENTE ver que professores, mais que isso, professores universitários(moldando profissionais) e como se não bastasse professores universitários de DIREITO usando como forma de estimulo, achando que essa é a melhor forma de prender a atenção de um aluno. Uma das discussões que eu tive com meu professor,( que é também coordenador do curso) foi porque ele disse que homens são superiores a mulher e isso não tem como ser discutido, exemplo disso é o esporte, jamais uma mulher vai jogar futebol tão bem quanto um homem, correr como um homem ou qualquer outra função será bem executada como um comem executaria. Nesse momento eu o questionei usando a Marta como exemplo, falei que ela joga bola muito melhor que muito homem por ai, a resposta brilhante que eu tive foi ” A, mas a marta é quase um homem, só olha pra ela pra saber” mas uma vez eu respondi: “Que eu saiba ele não tem um pinto e se você ver na certidão de nascimento está escrito sexo feminino e não quase um homem.” ele insistiu “mas que ela deve gosta da mesma furta que eu isso deve”. Bom, porque eu contei tudo isso e escrevi tudo isso, na nossa sociedade já existe preconceito o suficiente, e atualmente professores estão muito mais presentes na vida de um aluno do que os pais, sendo assim queridos professores, os senhores são FORMADORES de caráter, de opinião, de cidadãos. Por isso cuidado com o que vocês falam, muitas vezes pode parecer inofensivo, mas pode ser muito mais marcante e ter um resultado muito maior do que imaginamos. Se na pesquisa citada 28% dessas crianças já são preconceituosas, com o estimulo dos 22% dos professores também preconceituosos, essa característica pode se acentuar e pior, as outras crianças que não tem esse posicionamento podem ser influenciadas e modificadas por esses “belos” exemplos! Por isso, mães e pais héteros ou gays eduquem seus filhos, prestem mais atenção neles, porque se não um desses senhores pode fazer isso por você e não ser bem como se esperava!
    Rô e Sa, parabéns mais uma vez! Continuem nesse caminho que com certeza ele trará muitos bons furtos!
    Um beijo!

  • Fernanda Pucci
    fevereiro 28, 2012

    Desculpem pelos erros de acentuação e pela estruturação do texto! Espero que tenha sido util!

Post a Comment