Editorial
Top
Image Alt
  /  Politica e Direito   /  Califórnia quer proibir venda de “esforços para a mudança de orientação sexual”

Califórnia quer proibir venda de “esforços para a mudança de orientação sexual”

Algumas postagens nas redes sociais alegam que a proposta “proibiria a venda da Bíblia”

Legisladores na Califórnia avançam o projeto de lei que proíbe a propaganda e venda de “esforços para a mudança de orientação sexual”, também chamados de “terapia de conversão”. Inúmeras organizações médicas se opõem à prática, incluindo a Associação Psiquiátrica Americana e a Organização Pan Americana de Saúde, uma filial regional da Organização Mundial de Saúde. Os legisladores não propuseram a proibição da Bíblia, como sugerem alguns websites.

A proposta, aprovada pela Assembleia Estadual da Califórnia na quinta-feira (19) e agora segue para votação no Senado, emendaria o Consumer Legal Remedies Act”. Ele foi aprovado quase 6 anos depois que a Califórnia se tornou o primeiro estado a proibir os provedores de saúde mental de praticar terapias de conversão em menores de idade.

Caso seja aprovada, a proposta acrescentaria os esforços de mudança da orientação sexual na lista de práticas comerciais consideradas ilegais quando realizadas “numa transação com o objetivo de resultar ou que resulta na venda ou lease de bens ou serviços a qualquer consumidor”. Especificamente, ela tornaria ilegal “propagar, oferecer a adesão ou realizar esforços de mudança da orientação sexual de um indivíduo”.

Os esforços de mudança da orientação sexual são definidos no projeto de lei como “práticas que buscam mudar a orientação sexual de alguém. Isso inclui esforços de mudança de comportamento ou expressões de gêneros, eliminar ou reduzir sentimentos, atração sexual ou romântica entre indivíduos do mesmo sexo”.

Algumas postagens nas redes sociais alegam que a proposta “essencialmente proibiria a venda de livros que incluem valores cristãos tradicionais no que diz respeito ao casamento e sexualidade”, como postado no site: westernjournal.com, na quinta-feira (19). Milhares de internautas acessaram a postagem, a qual também inclui: “Chocante, a lei proposta poderia ter até sido redigida para tornar ilegal a venda de Bíblias, uma vez que incluem versículos que a extrema esquerda considera inaceitáveis”.

Os redatores do projeto de lei, incluindo o membro da Assembleia Evan Low, que apresentou a proposta, rejeitaram tais alegações. “A proposta é limitada à pratica de terapias de conversão como um serviço comercial em troca de compensação financeira”, explicou o advogado Anthony J. Samson.

Revista colaborativa LBT

Post a Comment